Mudando um pouco o estilo, por força maior…

Desde que parei de usar a horrorosa notação húngara, usada na API do Windows, criei o costume de usar sufixos para meus tipos: “_e” para enumerações, “_u” para unions, “_s” para structs , “_p” para ponteiros e “_t” para meus tipos…

Não as uso mais… E não faço mais coisas assim:

typedef char *string_t;

O motivo? Tanto a especificação POSIX (sim! C é especificado com a linguagem padrão dos sistemas UNIX!) quanto a documentação da GNU libc, dizem que o sufixo “_t” é reservado. Isso quer dizer que um tipo criado por mim pode já existir ou ser criado, algum dia.

Quanto tenho que usar uma estrutura (ou enumeração, ou union) uso a palavra reservada “struct” (ou “enum”, ou “union”) mesmo:

struct mystruct {
  ...
};

int f(struct mystruct *p);

Assim, fica mais evidente que o ponteiro p aponta para uma estrutura. Evida confusões, mesmo que eu tenha que digitar mais alguns caracteres!

Algumas “reinvenções da roda” só dão dor-de-cabeça!

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s