Minha ideia com o MyToyOS…

“Fred, cadê o MyToyOS?” — Well… minha ideia com o projeto, desde o início, é não seguir padrões pré definidos, na medida do possível. Algumas coisas são necessárias por questões do hardware (chipsets, processadores) e a necessidade de aproveitar alguns recursos que “facilitam” (UEFI, por exemplo). Neste aspecto, eu não quero implementar um filesystem tradicional (FAT, por exemplo), não quero usar formatos pré-definidos de particionamento de discos (embora tenda para o formato GPT) e sequer o mapa de memória tradicional, a não ser que seja delimitado pelo hardware.

O lance do UEFI deve-se ao fato de que, provavelmente, daqui a alguns anos o bootstrap, via INT 0x18, estará extinto. Se não fosse isso eu ficaria com a carga da MBR como ponto inicial.

O MyToyOS é um daqueles projetos que, possivelmente, jamais sairá dos testes porque a carga de estudos e de trabalho é enorme, já que eu quero não depender de padrões. Isso não significa que não tenha que estudá-los.

Anúncios